27 de set de 2007

PAUTA: Dia da Consciência Negra

Vinte de novembro é o Dia Nacional da Consciência Negra. A data - transformada em Dia da Consciência Negra pelo Movimento Negro Unificado em 1978 - não foi escolhida ao acaso, e sim como homenagem a Zumbi, líder máximo do Quilombo de Palmares e símbolo da resistência negra, assassinado há 311 anos, em 20 de novembro de 1695. Vamos falar com um professor de história para explicar a importância do líder Zumbi para o povo negro. O Quilombo dos Palmares foi fundado no ano de 1597, por cerca de 40 escravos foragidos de um engenho situado em terras pernambucanas. Em pouco tempo, a organização dos fundadores fez com que o quilombo se tornasse uma verdadeira cidade. Os negros que escapavam da lida e dos ferros não pensavam duas vezes: o destino era o tal quilombo cheio de palmeiras. Podemos ir até uma livraria ou biblioteca para pegar livros com ilustrações sobre o tema. Alguns anos após a sua fundação o Quilombo dos Palmares foi invadido por uma expedição bandeirante. Muitos habitantes, inclusive crianças, foram degolados. Um recém-nascido foi levado pelos invasores e entregue como presente a Antônio Melo, um padre da vila de Recife. O menino, batizado pelo padre com o nome de Francisco, foi criado e educado pelo religioso, que lhe ensinou a ler e escrever, além de lhe dar noções de latim, e o iniciar no estudo da Bíblia. Aos 12 anos o menino era coroinha. Entretanto, a população local não aprovava a atitude do pároco, que criava o negrinho como filho, e não como servo. Apesar do carinho que sentia pelo seu pai adotivo, Francisco não se conformava em ser tratado de forma diferente por causa de sua cor. E sofria muito vendo seus irmãos de raça sendo humilhados e mortos nos engenhos e praças públicas. Por isso, quando completou 15 anos, o franzino Francisco fugiu e foi em busca do seu lugar de origem, o Quilombo dos Palmares. Após caminhar cerca de 132 quilômetros, o garoto chegou à Serra da Barriga. Como era de costume nos quilombos, recebeu uma família e um novo nome. Agora, Francisco era Zumbi. Com os conhecimentos repassados pelo padre, Zumbi logo superou seus irmãos em inteligência e coragem. Aos 17 anos tornou-se general de armas do quilombo, uma espécie de ministro de guerra nos dias de hoje. Com a queda do rei Ganga Zumba, morto após acreditar num pacto de paz com os senhores de engenho, Zumbi assumiu o posto de rei e levou a luta pela liberdade até o final de seus dias. Com o extermínio do Quilombo dos Palmares pela expedição comandada pelo bandeirante Domingos Jorge Velho, em 1694, Zumbi fugiu junto a outros sobreviventes do massacre para a Serra de Dois Irmãos, então terra de Pernambuco. Contudo, em 20 de novembro de 1695 Zumbi foi traído por um de seus principais comandantes, Antônio Soares, que trocou sua liberdade pela revelação do esconderijo. Zumbi foi então torturado e capturado. Jorge Velho matou o rei Zumbi e o decapitou, levando sua cabeça até a praça do Carmo, na cidade de Recife, onde ficou exposta por anos seguidos até sua completa decomposição. “Deus da Guerra”, “Fantasma Imortal” ou “Morto Vivo”. Seja qual for a tradução correta do nome Zumbi, o seu significado para a história do Brasil e para o movimento negro é praticamente unânime: Zumbi dos Palmares é o maior ícone da resistência negra ao escravismo e de sua luta por liberdade. Os anos foram passando, mas o sonho de Zumbi permanece e sua história é contada com orgulho pelos habitantes da região onde o negro-rei pregou a liberdade. Podemos mostrar imagens do filme Quilombo.
Ações:
A data é a oportunidade de discutir a questão racial, esta data é um ponto de convergência para manifestações e reflexões sobre suas formas de luta e atuação por uma sociedade que saiba respeitar, contemplar e congregar as diferenças. Podemos tomar como exemplo iniciativas como a adoção - em meio a muitas discussões ainda em vigência - das Ações Afirmativas - cotas paras minorias que já estão em vigor em universidades e são aplicadas em concursos públicos. Podemos fazer um levantamento de quantos negros estão freqüentando universidades no Paraná e no Brasil. Outro ponto é a obrigatoriedade do ensino da história africana e afrobrasileira nas escolas de ensino fundamental e médio baseado na lei 10.639. Podemos conversar com o sociólogo Afonso para saber se medidas como essa contribuem para amenizar a questão racial no Brasil.
Podemos mostrar como a constituição brasileira trata esse tema, qual a situação da população de jovens negros em Foz e que tipo de problemas enfrentam.
Posição dos negros no mercado de trabalho...
Enquete:
Como você avalia as políticas de igualdade racial do governo?
Conquistas:
Produtos específicos;
Leitura direcionada;
Cultura Negra:
A capoeira;
Black Power;
Samba;
Hip hop; na casa do teatro tem um projeto com crianças carentes que aprendem a fazer hip hop.
Vale ainda realizar uma visita a uma comunidade Quilombola (São Miguel do Iguaçu)
Pesquisar a legislação recente para comunidades quilombolas e descendentes de africanos.
Candomblé ou Umbanda; ir até um centro para mostrar a herança religiosa do povo africano.




24 de set de 2007


Mais de 18 emissoras de tv aberta, 26 de rádio e 50 anos de história. A RBS TV é uma referência nacional de empresa multimídia, participa da vida de mais 10 milhões de gaúchos e catarinenses. Para comemorar meio século de história organizou a exposição NO AR 50 anos de vida. São 5 décadas contadas através de milhares de fotos, páginas de jornais, centenas de horas com imagens e vidéos históricos.

A direção artística é assinada por Marcello Dantas, do Museu de Língua Portuguesa de São Paulo. São 4,3 mil metros quadrados ocupados pela exposição, que começou a ser projetada em agosto de 2006, um trabalho minuscioso de regaste de materiais, são mais de 70 pessoas trabalhando na produção e execução da Mostra.

A exposição é quase toda interativa, dando aos visitantes a oportunidade de escolher para qual década viajar, através de jornais, rádio e tv. Tem também um caleidoscópio com espelhos e televisores sintonizados nos mais variados programas de tv. Um jogo onde objetivo é identificar de qual parte do estado gaúcho são as figuras que aparecem na imensa tela.

A exposição tem uma sala dedicada ao silêncio, e outras tantas, como a da cronologia, onde pode-se ver os principais eventos de comunicação dos últimos 50 anos. A cada meia hora os visitantes são convidados a assistir um vídeo projetado na parede da Usina do Gasômetro por 16 projetores de última geração, o vídeo com aproximadamente 15 minutos traz uma síntese com todos os tipos de imagens desses 50 anos, que vai desde a guerra do Vietnã, clássicos de Inter e Grêmio, Pavarotti até o ilário vídeo do apresentador Lasier Martins levando um choque.

NO AR teve início no dia 31 de agosto e vai até 18 de novembro, das 9h às 21h, a entrada é gratuita.

Monumentos Invisíveis

"... cada pessoa tem em mente uma cidade feita exclusivamente de diferenças,

uma cidade sem figuras e sem forma,

preenchida pelas cidades particulares."

Italo Calvino em As cidades invisíveis


Costuma-se dizer que um lugar é o espaço que possui uma história, uma teia de relações e uma identidade dada, em um momento. Isso se dá, principalmente, pelos acontecimentos anteriores e atuais envolvendo o referido espaço. Mas, segundo muitos pesquisadores das Ciências Sociais, também existem espaços que não tem história, desprovidos de processos identitários próprios. Neles a teia de relações que se forma acaba tornando-os não lugares.
Os não lugares acabam se transformando em espaços alheios à cultura e aos costumes locais. Assim, é comum vermos cotidianamente um cenário, mas, em função de ele ter pouca ligação com o cotidiano de fato, acaba não sendo visto, não fazendo parte efetiva da paisagem sensível dos moradores, dos transeuntes e dos turistas. Esses últimos já são, por natureza, visitadores de não lugares locais. O estrangeiro vem ver o que o local não vê com os mesmos olhos ou não quer enxergar.
Foz do Iguaçu é conhecida pela sua beleza natural. É uma informação tão forte que até mesmo os moradores da cidade acabam não conseguindo ver as outras “atrações” que existem. A Igreja de São Francisco de Assis é uma delas. Situada no bairro Morumbi ela é considerada mais bela e mais imponente que a catedral do centro da cidade. Motivo de orgulho para os moradores, mesmo os que nem são católicos, a igreja é, para a maioria da cidade, um não lugar.
O olhar é um tipo de registro físico e espiritual. Não se pode dizer que as imagens da nossa vida são gravadas apenas no nosso intelecto. Talvez por esse motivo algumas pessoas passem todos os dias por verdadeiros monumentos e não dão muita importância.
Pois se a igreja de São Francisco de Assis no bairro Morumbi é pouco notada e quase não faz parte do cotidiano olhar da maioria dos habitantes de Foz do Iguaçu, o eu dizer dos monumentos menores, aqueles que estão distribuídos pelas ruas? A corujinha que está na avenida JK, próximo ao Terminal de ônibus (TTU) é outro exemplo.
É praticamente impossível não vê-la, mas registrá-la no olhar e bem mais difícil. O registro fica mais difícil porque não há nenhuma placa explicativa ou mesmo um vínculo com a sua natureza. Por que ela está naquele local? Homenageia quem?
Para uma cidade turística, Foz do Iguaçu carece de mais informação. Muitas vezes os visitantes trazem mais detalhes sobre os monumentos da cidade do que os próprios iguaçuenses.
O que acontece com a corujinha da JK pode ser notado até mesmo nas vias principais de Foz. Na avenida Brasil, que sofreu uma grande reforma recentemente, poucos sabem o significado das grandes bolas colocadas nas esquinas. Tampouco se dá atenção ao conjunto de bandeiras dos países que compõem o Mercosul quando a Brasil cruza avenida Jorge Schimmelpfeng. Ali não há nem mesmo uma explicação sobre quem foi Jorge Schimmelpfeng.
O turismo é uma das principais fontes de arrecadação do município de Foz do Iguaçu, senão a maior. Se os monumentos e valores sociais do local não são conhecidos pela própria comunidade e os serviços públicos não têm nenhuma política para diminuir esse problema, vai ficar cada vez mais difícil encontrar um morador que saiba explicar onde fica um local como a igreja de São Francisco de Assis.

Como a simbolização mais representativa da coruja é a sabedoria, talvez fosse o caso de mudá-la de local, deixando aquele marco da cidade mais próximo ao centro administrativo. Quem sabe a proximidade possa fazer com que as autoridades comecem a dar sábios passos para ampliar ou criar uma identidade iguaçuense e uma melhor divulgação dos monumentos e valores históricos desse município quase centenário.


Obra consultada:

Marcia Maria Cavalcanti, “O fetiche do consumo como agente de reprodução do não-lugar” IN: http://www.revistaturismo.com.br/artigos/nao-lugar.html (acessado em 15/9/07)

11 de set de 2007

Sítios Interessantes...

etcetera é uma revista eletrônica voltada para arte e cultura. Abre espaço para novos autores e aqueles que circulam fora do "eixo convencional" da mídia. Seu conteúdo é variado: cinema, música, teatro, artes visuais e etc! A revista tem colaboradores por toda parte, a linha editorial da publicação participativa que dá oportunidade de novos autores a cada edição. Etcetera é espaço para os apreciadores da contracultura. Na edição Jul/Ago a revista traz poesia, artes plásticas e crônicas tudo sobre uma ótica direnciada.

Comunique-se é um portal de comunicação. Oferece oficinas e cursos. Tem seis colunistas que falam sobre política, televisão, cinema, música, corrupção, violência e por aí vai. É possível acessar notícias sobre os últimos acontecimentos no Brasil e no mundo. Usuários cadastrados podem participar de um bate-papo, e acessar conteúdos especiais. Pode ainda, consultar uma lista com Assessorias de comunicação de todos os cantos do Brasil, banco de empregos, sites relacionados e agenda de eventos. O internauta pode colaborar enviando sugestões de pauta, artigos e notícias de bastidores. Ainda tem a opção: PAPO NA REDAÇÃO, onde assiste e conversa com profissionais de destaque no mercado jornalístico.

Casa dos Jornalistas é um blog organizado por Humberto Santos, jornalista de Cabo Verde, uma ilha próxima ao continente Africano, colonizada por Portugueses. Como o próprio criador do site diz... é um diretório, um espaço onde se pretende promover o debate sobre temas relacionados com os media e o jornalismo. Voltado para críticos, jornalistas e profissionais da área. O blog tem links com material sobre a história da mídia, lei de imprensa, e diversos outros onde se pode saber mais sobre os mecanismos da comunicação. Tem um diretório com os nomes de vários profissionais de comunicação, através dele é possível visitar os blogs de cada um.

PAUTA: No Ar

As intensas mudanças vivenciadas pela humanidade são influenciadas diretamente pelos meios de comunicação. Nos últimos 50 anos o desenvolvimento de novas tecnologias, comportamento e as transformações são acompanhadas de perto pela mídia. O grupo RBS, é uma empresa de comunicação multimídia que opera no sul do Brasil e é lider absoluta nos segmentos em que atua. Fundada em 1957 por Mauricio Sirostsky Sobrinho, a RBS tem em sua plataforma multimídia:
- 18 emissoras de televisão aberta
- 2 emissoras locais de televisão
- 8 jornais diários
- 26 emissoras de rádio
- 2 portais de internet
- Operação orientada para o agronegócio
- Editora
- Gravadora
- Empresa de logística
- Empresa de marketing para jovens
- Fundação de responsabilidade social
Além de atingir diariamente um público de milhões de pessoas a Rede RBS está presente em seis estados brasileiros com veículos de comunicação de massa no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de sucursais multimídia e escritórios comerciais no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o que a torna o maior grupo de comunicação multi-regional do Brasil.
Para comemorar seu sucesso junto aos gaúchos, e a sua expansão durante estes 50 anos, a RBS promove a exposição NO AR.
Uma viagem pela história da mídia.